Ter um sorriso branco e alinhado é um sonho de muitas pessoas. O hábito de fumar, no entanto, pode ser um dos empecilhos para realizar esse desejo. Os prejuízos do cigarro para a saúde são muitos, e bem conhecidos: doenças como enfisema, bronquite e câncer são alguns riscos trazidos por ele. E a saúde bucal também não fica de fora dessa. Além dos riscos de quadros como gengivite e câncer de boca, a parte estética também é afetada. Quando os dentes se tornam mais escuros, o clareamento é a primeira solução que aparece na nossa cabeça. Mas como será que esse tratamento é feito com fumantes? O dentista Johnathan Marcondes explica os problemas do fumo para o procedimento.

Tabaco é uma das maiores causas de manchas nos dentes

Segundo o dentista, existem dois tipos de manchas que podem ocorrer no seu sorriso. O primeiro é a mancha intrínseca, isto é, aquela que se desenvolve no interior do dente. “As manchas intrínsecas podem decorrer do uso de antibióticos durante a formação do dente, seja in útero ou durante a infância, e à exposição ao flúor excessivo quando criança”, explica ele. Por outro lado, existem também as manchas extrínsecas, que surgem por motivos exteriores. Elas podem ser causadas por bebidas, como o chá e o café, pelo avanço da idade, pelo desenvolvimento da placa bacteriana e do tártaro e pelo uso do tabaco, um dos maiores motivos.

Em fumantes, o clareamento não terá 100% dos resultados

Johnathan afirma que sim, fumantes podem realizar clareamento dental, mas desde que abandonem o hábito de fumar. Essa prática não contraindica o clareamento dental, mas caso os dois ocorram ao mesmo tempo, o tratamento não fará efeito. Em pacientes fumantes, portanto, o resultado estético e a manutenção podem ser comprometidos. “O mais indicado é abandonar o hábito antes do início do clareamento”, indica ele. Se a pessoa não conseguir, pode tentar reduzir o uso do cigarro, mas deve estar ciente de que isto vai atrapalhar o resultado do tratamento. Além disso, caso após o fim do procedimento a pessoa volte a fumar, a alteração de cor irá voltar em menos tempo.

Nesse caso, existem outras opções para clarear os dentes?

Se uma pessoa fumante não quer abandonar o hábito, existem algumas alternativas, mas que não serão tão satisfatórias. “O que podemos fazer em alguns casos são procedimentos para diminuir as manchas”, explica ele. Em casos de pacientes fumantes há muitos anos, que possuem manchas severas nos dentes, nos quais é verificado que o clareamento não vai atingir um resultado satisfatório, tratamentos mais invasivos podem ser indicados.

É o caso das facetas de porcelana, por exemplo. “Realizamos um pequeno desgaste na superfície do esmalte e confeccionamos lâminas de porcelana que são coladas sobre ele”, esclarece. Elas seguem uma cor definida em conjunto pelo profissional e paciente, e podem apresentar resultados muito bons. Existem também várias receitas caseiras que se dizem milagrosas. “Mas não confie nisso!”, alerta ele. Elas podem levar a outros problemas e até mesmo danificar a superfície dos dentes.

Os problemas do cigarro vão além da estética

É preciso lembrar que muitas são as consequências negativas do tabaco para a saúde. O seu uso tem como resultado as manchas nos dentes e o acúmulo de placa bacteriana e do tártaro, mas não para por aí. Os cigarros e o fumo de mascar, feitos com ele, contêm muitas substâncias cancerígenas que podem levar a doenças graves. Entre elas estão o câncer de boca e faringe, câncer de pulmão, alterações de tecido das bochechas e da gengiva.