A chupeta se tornou um elemento característico de uso de bebês e crianças pequenas. É indicado que o hábito seja abandonado até os três anos de idade, já que a prolongação do seu uso pode trazer problemas para a saúde bucal do pequeno. É muito comentado que a chupeta ortodôntica é mais fácil de ser removida. A dentista Sílvia Reis tira dúvidas sobre o assunto.

Diferença entre a chupeta ortodôntica e a tradicional

A chupeta tradicional possui uma forma redonda. As crianças que mantêm o hábito de sucção destas após o nascimento dos dentes de leite favorece o aparecimento de mordida aberta (dentes superiores não tocam os inferiores). Caso elas interrompam esse hábito ainda com esses dentes, a mordida fecha espontaneamente. Já a chupeta ortodôntica tem um formato mais plano, parecido com o bico do seio da mãe quando succionado. Na teoria, esse modelo causa prejuízos menores para a posição dos dentes da criança. “Outro aspecto importante é que a chupeta ortodôntica é de silicone e a convencional de látex, que pode causar reações alérgicas graves em algumas crianças”, completa a dentista.

É verdade que a chupeta ortodôntica é mais fácil de ser removida da criança?

É comum alguns bebês sentirem a necessidade de complementar a sucção do leite materna com a não nutritiva, que é a chupeta. Essa vontade pode já ser observada desde a vida intrauterina, ou seja, dentro do útero. Nesses casos, é indicado que seja oferecido para uso a chupeta ortodôntica, que possui tamanhos variados. “Ela causa menores danos aos dentes e é mais fácil de ser removida que o dedo”, explica a ortodontista. Além disso, é preciso uma atenção dos pais quanto à troca indicada. Conforme a criança vai crescendo, a chupeta deve ser substituída por uma maior, respeitando a faixa etária definida. Fazer essa troca contribui para que o item desejado seja cada vez menos confortável, facilitando sua remoção.

Cuidados que os pais devem ter para que a chupeta não prejudique a saúde bucal da criança

Vale ressaltar aos pais que nem toda criança sente a necessidade de usar chupeta. No entanto, nos casos em que seja percebido a vontade, é importante oferecê-la para que o pequeno não escolha chupar o dedo. Além disso, é relevante a escolha do tipo, ortodôntica ou de silicone, sempre fazendo a troca por uma maior conforme o crescimento e orientação do fabricante. Geralmente, aos três anos a criança já está com maturidade para largar o hábito. Os responsáveis devem estimulá-la também para que isso aconteça, como ir reduzindo o uso no horário de dormir. “Quando os pais perceberem que a criança está com dependência emocional do hábito, pois não conseguem abandoná-lo, devem procurar um odontopediatra para receber orientações”, finaliza a profissional.