Os avanços na Ciência são cada vez mais maiores e precisamos sempre nos atualizar. Não dá para ficar para trás, né? A cada dia uma nova descoberta é feita, e muitas delas podem ter grande papel no universo da saúde. Células-tronco, por exemplo, são um assunto do qual ouvimos falar, mas muitas vezes não entendemos exatamente do que se trata. Menos pessoas ainda sabem que esse tema pode ter grande relação com a odontologia. Quer saber mais sobre o assunto? A profissional Tatiana Rysovas nos ajudou a entender melhor o tema!

O que são as células-tronco e para que servem?

“As células-tronco são células jovens que têm a capacidade de autorrenovação”, esclarece a profissional. Mas afinal, o que isso significa? Quer dizer que elas podem gerar outras células “filhas” idênticas a elas mesmas em forma e função e originar todas as células do nosso sangue. Elas podem, portanto, ser muito importantes para pessoas que precisam passar pelo tratamento de quimioterapia onde as células-tronco são destruídas, por exemplo, além de muitas outras situações que envolvem doenças graves.

A polpa do dente de leite é uma excelente fonte para esse material

Agora que entendemos o que isso significa, você pode estar se perguntando: mas qual a relação com a odontologia? Tatiana explica: “A grande novidade é que hoje em dia as células-tronco podem ser obtidas através da polpa do dente de leite e do tecido adiposo.” Existem diversas fontes de células-tronco, no entanto, a polpa do dente tem um benefício a mais. “Ela se destaca pelo fato de fornecer células-tronco que podem servir não só ao doador, mas também a toda sua família”, esclarece.

Como é feita a obtenção dessas células-tronco?

O melhor é que a obtenção da polpa do dente de leite é um processo não invasivo. Ela pode ser feita naturalmente durante o período de troca dos dentes da criança, entre os 5 e 12 anos, e ficam armazenadas em tubos e congeladas em nitrogênio líquido. “Essas células-tronco são células jovens e de excelente qualidade e quantidade, portanto indicado para um futuro tratamento de doenças degenerativas”, afirma ela.

As células-tronco do nosso corpo também envelhecem. Com o passar do tempo, são expostas a fatores ambientais que podem diminuir seu potencial de multiplicação e diferenciação. “Sendo assim, o dente de leite pode ser uma fonte ideal de células-tronco mesenquimais ainda jovens, com enorme potencial de multiplicação e diferenciação.”

Outra forma de se obter a célula tronco é pelo tecido adiposo

Além da polpa do dente, outra maneira de se conseguir células-tronco é através do tecido adiposo, ou seja, da gordura presente no nosso corpo. “O tecido adiposo é rico no tipo especial de célula-tronco chamada mesenquimal, e está se descobrindo que essas células, mais do que a capacidade regenerativa, possuem propriedades anti-inflamatórias e imunorreguladoras”, afirma Tatiana. Elas podem ter aplicação, portanto, no tratamento de inúmeras condições como artrite, regeneração de cartilagem, fraturas ósseas, infarto do miocárdio, doenças pulmonares, doenças auto-imunes, queimaduras de alto grau, entre outras. “Aquele material que seria descartado em uma cirurgia de bichectomia, de remoção da gordura da bochecha, pode ser valioso para um possível uso futuro”, conclui. Se você pensa em realizar esse procedimento, converse com o profissional e não deixe de guardá-la!