Essa doença, desenvolvida a partir de restos de alimentos que ficam na boca, é um perigo que pode atingir qualquer pessoa. A melhor forma de evitá-la é por meio de uma boa higiene bucal, aliada a uma alimentação equilibrada. Sim, estamos falando da famosa cárie. Ela possui diferentes tipos, alguns mais fáceis de identificar dos que outros. Você sabe como pode ser feito seu diagnóstico? Será que é preciso uma radiografia para reconhecer esse quadro? O ortodontista Robson Caumo comentou essas questões.

Reconhecimento deve ser feito pelo profissional

Na maioria das vezes, quando o próprio paciente identifica uma lesão de cárie, a mesma já está num estágio mais avançado. “Geralmente já está com a presença de uma cavidade ou com sintomatologia dolorosa”, afirma o profissional. Por isso, as visitas de rotina ao dentista são extremamente importantes, para que ele possa diagnosticar a doença antes de seu avanço. Para isso, ele irá precisar realizar um exame clínico minucioso. “Em caso de dúvidas, o profissional pode dispor de exames radiográficos para um correto diagnóstico”, explica.

Radiografia pode ser importante para identificar a doença

Segundo Robson, muitas cáries não são tão aparentes ao exame clínico, como as interproximais, por exemplo. As cáries entre dois dentes são mais difíceis de serem constatadas, assim como as ocultas, que se manifestam na dentina sob a superfície do esmalte dental. “Nestes casos, a única forma de fechar o diagnóstico é dispor do exame radiográfico, no qual a lesão cariosa pode ser identificada com maior precisão”, esclarece ele.

Cárie pode ser notada a olho nu pelo dentista?

“Pode e deve, quando a mesma está visível”, responde o profissional. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, a cárie não se inicia com uma cavidade, mas sim por uma mancha branca, que é resultado da desmineralização da superfície do dente envolvido. Ao secar bem os dentes e com iluminação adequada, costuma ser possível observar essa mancha. “Cavidades são mais fáceis de identificar”, afirma. Mas nesses casos a doença já progrediu. Ele ressalta que nem toda mancha, clara ou escura, é necessariamente cárie. Portanto, cabe ao dentista ter o conhecimento técnico e o cuidado para identificar o que é ou não.

Diagnóstico rápido é fundamental

Quanto mais rápido o diagnóstico, menor será o dano para os dentes e as consequências ocasionadas ao sorriso do paciente. “Dessa forma, é possível evitar problemas mais complicados, como a necessidade do tratamento dos canais dos dentes afetados”, finaliza.

É importante lembrar, é claro, que a prevenção é sempre a melhor escolha! Mantendo a higiene bucal em dia com uma boa escovação após as refeições e o uso diário do fio dental, é possível se proteger contra essa doença. Além disso, uma alimentação equilibrada, sem exagerar no consumo de açúcar também é recomendada para evitar esse quadro.