Quando a sensibilidade dentária se torna uma companheira diária, decisões simples começam a ser repensadas. Aceitar um doce, por exemplo, não é mais uma reação automática. Sabe aquele convite para ir na sorveteria? Melhor deixar para outra hora. Agora, se não só o bem-estar como a saúde do sorriso ficam em jogo, é melhor buscar soluções. Para isso, comece entendendo como dentes sensíveis podem afetar seu dia a dia com a ajuda do dentista Max Ferreira.

Riscos de conviver com a dor

Mesmo que pareça mais fácil aprender a conviver com o desconforto em vez de procurar ajuda, o especialista alerta que é importante entender os riscos. “A sensibilidade pode afetar a saúde bucal não apenas pela dor mas também por, de certa forma, causar limitação na higienização do paciente, levando ao desenvolvimento de outros problemas bucais”.

Como a sensibilidade afeta os seus dentes?

E para entender de que maneira os dentes sensíveis podem colocar a saúde bucal em risco, é importante entender o que ela significa. Segundo Max, esse tipo de dor é causada pela exposição do dente provocada por traumas causados pela escovação, má oclusão ou até por tratamentos mal executados ou sucedidos.

Assim, apesar da sensibilidade não ser uma doença, ela pode acabar sendo a porta de entrada para outros perigos. “Se não tratada ou prevenida, essa condição pode levar à inflamação do tecido pulpar de forma irreversível (pulpite) e a necessidade de terapia endodôntica”, alerta o dentista.

O problema também pode atingir a qualidade de vida

Além dos riscos para a saúde, Max ainda lembra que a sensibilidade é capaz de afetar até mesmo as pequenas alegrias do dia a dia. “Ela afeta o bem-estar do paciente, pois o priva do consumo de determinados alimentos e o leva a conviver com um desconforto constante, causado principalmente por estímulos térmicos”. Ninguém merece, né?

Como solucionar o problema?

O dentista explica que algumas medidas podem ser tomadas visando a melhora do quadro de sensibilidade, tanto pelo especialista quanto pelo paciente. “O uso de escova com cerdas extra macias, pouca força aplicada na escovação e creme dental específico para sensibilidade pode ajudar”, aconselha.

Por outro lado, o profissional também pode fazer sua parte e Max explica como. “Realizando a aplicação de verniz fluoretado nas áreas mais sensíveis, restaurando aquelas que perderam esmalte, além de prescrever cremes dentais específicos para sensibilidade”. Assim, com os dois lados trabalhando juntos em prol da recuperação, as chances de solucionar o problema são ainda maiores.