De diversos sabores, cores e tamanhos, os chicletes são um alimento de consumo muito comum. Para enganar a fome, sentir um gostinho bom ou a refrescância, mascar essa guloseima tem seus benefícios… No entanto, para quem usa aparelho ortodôntico, ele é visto muitas das vezes como um vilão. Você já teve alguma experiência com o doce e seu aparelho dentário? Conversamos com a ortodontista Sílvia Reis para entender se o chiclete, necessariamente, traz apenas prejuízos para o tratamento ortodôntico.

Vilão: o chiclete pode causar cárie e fazer com que o braquete do aparelho solte

Para a ortodontista, “mascar chicletes usando aparelhos ortodônticos não é uma boa prática”. Ela faz essa afirmação baseada nos riscos que esse doce pode trazer para o sucesso do tratamento. Primeiro, é preciso lembrar que o hábito de mascar chicletes com açúcares aumenta o risco das famosas cáries. Quem usa aparelho sabe que a higiene bucal se torna um pouco mais complicada, uma vez que as estruturas podem reter mais alimentos. “Portanto, a associação dos dois pode resultar em manchas nos dentes e risco aumentado de cáries”, explica ela.

“Mas existem também os chicletes sem açúcar”, você pode estar pensando. É verdade, esse tipo de doce traz o benefício de não facilitar o surgimento de cáries. No entanto, isso não significa que ele possa ser consumido sem problemas! “Os chicletes são causas frequentes de descolamento de bráquetes”, afirma Sílvia, o que pode prejudicar o desenvolvimento do tratamento.

Agente duplo? É verdade que o chiclete ajuda a aliviar dores durante do tratamento?

Além do gostinho doce, que pode ser de diferentes sabores, existe outro fator que pode levar ao consumo do chiclete enquanto se usa aparelho ortodôntico. É que esses doces promovem certo alívio para a dorzinha que pode ocorrer durante o início do tratamento, ou depois das manutenções… Mas será então que ele deve ser consumido? A profissional responde que não! “O risco de fraturas de bráquetes ou surgimento de cáries não compensa o alívio que os chicletes poderiam causar”, afirma. Segundo ela, atualmente a ortodontia utiliza forças leves, o que reduziu bastante as queixas em relação a dores. Quando existir qualquer incômodo, o ideal é procurar o ortodontista, que poderá recomendar o uso de analgésicos.

Fique atento! Seu consumo pode atrasar o tratamento ortodôntico

Portanto, apesar de existir sim um benefício trazido pelo chiclete para quem faz tratamento ortodôntico, seu consumo não é indicado. Caso essa recomendação não seja seguida, o resultado poderá ser o prolongamento do tratamento. “Pesquisas recentes mostram que os fatores que mais impactam no tempo de uso de aparelhos são as frequências de quebras de bráquetes e de faltas no ortodontista”, diz ela.

Por outro lado, hoje em dia, com a evolução das técnicas ortodônticas, os tratamentos têm sido cada vez mais confortáveis, e podem ser adaptados aos hábitos de cada indivíduo. “Se o paciente não consegue abrir mão do chiclete no seu dia a dia, o ortodontista pode adaptar o tipo de aparelho a esse hábito”, esclarece. Nesse caso, não se deve esquecer de sempre escovar os dentes após consumi-los, e dar preferência aos tipos sem açúcar. Isso pode fazer com que se leve mais tempo para atingir um bom resultado, mas sem abrir mão do seu bem-estar!