Por ser pouco discreto, o aparelho extrabucal não costuma ser muito agradável para quem o utiliza. Em um tempo em que já existem certos tipos de aparelhos transparentes e invisíveis, a questão estética do extrabucal muitas vezes prejudica a colaboração do paciente durante o tratamento. É preciso lembrar que seu uso é importante e pode evitar consequências mais graves, como por exemplo, a necessidade de uma cirurgia e até mesmo a extração de dentes. Para entender melhor o que é esse aparelho e em quais casos seu uso é indicado, o Sorrisologia conversou com a ortodontista Sívia Reis.

Qual é a função do aparelho extrabucal?

Os aparelhos extrabucais são todos aqueles que têm algum apoio externo à boca, na face ou na cabeça. “Normalmente eles são utilizados quando se deseja aplicar uma força elevada sobre os ossos da face para estimular ou restringir seu crescimento”, explica a dentista. Esse tipo de aparelho costuma ser utilizado quando os pacientes ainda estão em crescimento, na infância ou na adolescência, e apresentam excesso ou deficiência de crescimento da maxila.

Quando o uso do aparelho extrabucal é indicado?

Segundo a dentista, nos últimos 20 anos, a ortodontia evoluiu muito, desenvolvendo aparelhos que apoiam em parafusos e placas instalados nos ossos, dentro da boca. Esse tipo de aparelho é uma opção mais discreta que o extrabucal.

Em crianças entre 5 e 10 anos de idade, entretanto, em alguns casos continua sendo necessário utilizar aparelhos extrabucais. Isso acontece porque existem situações em que eles ainda são os mais eficientes para solucionar problemas relacionados ao crescimento dos ossos faciais. “Os aparelhos extrabucais são excelentes para estimular ou restringir, dependendo do desenho do aparelho e como a força é aplicada, o crescimento facial em idade precoce”, esclarece.

Para o sucesso do tratamento, é necessário que o paciente use o aparelho durante muitas horas por dia. É preciso, portanto, que exista um trabalho de conscientização junto à criança, para que ela faça seu uso pelo tempo adequado e da forma correta.

Contraindicações para o tratamento

Esses aparelhos são contraindicados em pacientes adultos, quando utilizados com objetivos ortopédicos, ou seja, para alterar o crescimento dos ossos. “Em adolescentes, evitamos seu uso substituindo-os por outros aparelhos instalados dentro da boca, devido à dificuldade de colaboração”, comenta.
É importante lembrar que as indicações e contraindicações adequadas dependem de um diagnóstico correto, realizado por um ortodontista. Cada situação deve ser avaliada com suas particularidades, por isso o acompanhamento de um profissional de confiança é indispensável.